Salários e distribuição de renda: a política salarial do PAEG

Autores

  • Leandro Horie DIEESE

Resumo

O golpe militar de 1964 significou uma nova etapa na dinâmica do mercado de trabalho. Aproveitando-se da crescente repressão política e supressão da atividade sindical, o governo militar impôs uma série de medidas no âmbito no PAEG focadas no mercado de trabalho, especialmente uma política salarial que significou abolição da negociação coletiva e o início do controle dos reajustes salariais pelo Estado, apontado por este como um dos principais responsáveis pela inflação. Utilizando parâmetros de preços e produtividade, a ideia básica era a de que houvesse estabilidade dos salários reais e aumentos somente se ocorressem elevações de produtividade. Porém, houve crescente subdimensionamento desses indicadores, que significou perda em relação aos valores verificados na realidade e, assim, provocou achatamento nos salários, especialmente os menores. Cresceu a diferenciação salarial entre a década de 1960 e 1970 e, em face da ausência de contestação sindical, uma piora na distribuição de renda no período.

Publicado

2020-11-23

Edição

Seção

Artigos