Elasticidades dos determinantes das exportações brasileiras (2000-2014): uma abordagem estruturalista a partir da metodologia de dados em painel

Autores

  • Victor José Rocha Lima PUCRS
  • Paulo Ricardo Feistel UFSM
  • Augusto Mussi Alvim PUCRS

Palavras-chave:

Teoria estruturalista; Determinantes das exportações brasileiras; Exportações por setor; Estrutura produtiva; Dados em painel.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo realizar uma análise sobre as elasticidades dos determinantes das exportações brasileiras por setor para os principais parceiros comerciais no período de 2000 até 2014. Utilizando um modelo seminal de exportações adaptado, via metodologia de dados em painel com efeitos fixos, observou-se: uma elevada elasticidade-renda da demanda dos maiores parceiros comerciais por produtos básicos; um impacto do grau de abertura comercial mais enfático nas exportações de produtos com baixo valor agregado; uma apreciação cambial que impulsionou de maneira incisiva os setores mencionados; efeitos da emissão de crédito que só estimularam as exportações de produtos básicos. Tais resultados revelaram um estímulo à precarização da estrutura produtiva brasileira, que representa, segundo evidências: uma má estrutura de salários; constantes ingressos em bolhas de commodities gerando apreciações da taxa de câmbio e consequentemente uma queda nas exportações dos produtos manufaturados; e um baixo protagonismo internacional.

Publicado

2020-12-04

Edição

Seção

Artigos